segunda-feira, 6 de junho de 2022

AONDE CHEGAREMOS POR ESSAS ALAMEDAS ?


E S T R A N H O S   L I M I A R E S


Quanta gente sem querer vai se ver forçada

Indo buscar novos destinos, novos ares

Na esperança de alcançar arrancada

Mesmo tendo que singrar longínquos mares

 

Abandonando afetos nesta caminhada

Para serem trocados em outros lugares

Embora à custa daquela ideia sonhada,

Refletida nesses momentos singulares

 

Mas ainda em nossa memória estampada

Permanece ali brilhando nos olhares

Para qualquer lembrança a ficar marcada

 

Vamos chegando a estranhos limiares

Condenados que nem pobre alma penada

Em certos tempos de inimagináveis lares.

 

José Alberto de Souza

 POA, 21/MAIO/2022

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

ABRINDO A PORTEIRA PARA PASSAR A BOIADA

ERICO MACHADO - NOV./2021

 contos de beira d’água entre adeuses abraços

e jamais lágrimas de ampulheta

o tempo que passa na sombra da figueira

que já viu tanto encontro e tanta despedida

vivendo na orla do rio sempre de águas passadas,

novas histórias em cada partida

transcendem em cada encontro

folha que seca e cai adubando nova vida

conforto nos braços de pessoa querida

folha que voa e vai virar barquinho no rio

levando histórias para ir contando

de forma simples e gentil

quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

EIS AI CERTO REENCONTRO SURPREENDENTE

Honrada e emocionada ao ser presenteada pelo próprio autor jaguarense com essa linda obra autografada.
Livro instigante devorado numa tacada só.
Amei sobretudo as reminiscências da nossa Jaguarão de outrora.
Aconselho a todas e todos que leiam essa e as outras obras de José Alberto de Souza.
Gratidão e sucesso, amigo!

Há poucos dias, recebi uma solicitação de amizade no facebook, oriunda de uma antiga conhecida virtual que já tinha acessado a edição digital de meu primeiro livro em 1989. Constatei com satisfação que se tratava da gentil Dileuza Souza Urtassum e não hesitei ao aceitar de imediato esse pedido, além de lhe enviar “Sem Medo de Parecer Nostálgico”, seleta histórica publicada em 2019.

E qual não foi minha surpresa ao me deparar com sua generosa apreciação postada em sua página do face, seguida de mais de cinquenta aplausos de seus seguidores. Devo dizer que tal repercussão me animou a proceder um lançamento exclusivo com distribuição gratuita daquela a todos que assim se manifestaram, o que ocorreu a 9 do corrente em dependências do Círculo Operário de Jaguarão.



Com o maestro Magno Patron, presidente da Sociedade Independente Cultural.


Com o poerta Martim Cesar e esposa,  Jorge Passos, outro poeta e o maestro Magno Patron.
 
Com o "ativista cultural" Carlos José de Azevedp Machado, o Professor Maninho.


Com minha sobrinha, a "ematerista" Ana Lecy de Souza Pacheco.

Com nosso grande amigo, o artista plástico Cleber Carvalho.


 Com Erico Pacheco Machaado, talentoso músico e poeta.

Com a empreendedora, nossa querida prima Quenia Lopez de Resem, 

Com Dª. Neiva Teixeira Vieira, esposa do vereador Paulinho Vieira.

Com a querida divulgadora e promotora da sessão privada de autógrafos Dileuze Souza Urtassum.

A presença simpática da amiga Tania Rondan.

Dª, Maria Gabriela Segovia, amável seguidora de Dileuze Urtassum.

Como diria o saudoso Mendes Ribeiro: "foi um privilégio ter estado em vossa companhia";

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

INSÓLITO ENCONTRO ENTRE DUAS GERAÇÕES

Ela era de família uruguaia

E estudava no Liceo de Rio Branco,

Mas residia em Jaguarão,

Onde seu pai jogava futebol

No Esporte Clube Cruzeiro do Sul.

 

Ele tinha familiares de origem brasileira

E frequentava o Colégio das Irmãs em Jaguarão,

Porém, morava em Rio Branco,

Onde o pai era funcionário da Casa Aspiroz.

 

Todos os dias poderiam se cruzar na linha divisória

Da Ponte Internacional Mauá,

Em que sempre se avistariam

E se acenariam amistosamente um para o outro,

Até o dia em que ela se tornaria famosa

Como a mais bela gaúcha ali nascida.





O PODER OBTIDO PELO CHARME DUMA DAMA

 



UM IRRESISTÍVEL CHARME

 

 Ela tem brilho pela atenção que chama,

A sua graça esbanja simpatia,

Certo fogo de pura paixão nos inflama

Discretamente, sem fazer qualquer alarme

 

Nem passa despercebido todo dia

Aquele olhar de encantadora dama,

Lançando a mais profunda energia

Que não espero agora venha dar-me

 

Sua calma serenidade já tem fama

De sempre agregar toda família

Sendo suficiente para educar-me

 

Nela se concentra assim qualquer forte rama

E até duvido, nesta companhia

Que alguém possa resistir tamanho charme.

 

                                                     José Alberto de Souza

POA, 15/DEZ./2021

terça-feira, 9 de novembro de 2021

ANOS DE PÉROLA SEPARAM A NOSSAS IDADES



A N O S   D E   P É R O LA

Anos de pérola param nossas idades 
Entre esses comemorativos jubileus, 
Anos que jamais deixam de serem verdades 
Nem tampouco uma benção do bondoso Deus  

Eles se perderão nessas eternidades 
Como se fossem respeitáveis corifeus 
Pelas tantas benfazejas atividades 
Que conduzirem a todos os apogeus 

Assegurados em suas possibilidades 
De influenciar as peças destes museus 
Na busca por tão justas perenidades 

Da constante revolta de seres plebeus 
Inconformados com cruéis realidades 
Sempre insistindo a não dizerem adeus... 

 José Alberto de Souza, 
POA 09/nov./2021.

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

APELANDO A UMA ABORDAGEM INESPERADA!


A B O R D A G E M

 

Não posso mais a esta paixão resistir

De tão obcecado pela tua imagem

A toda hora na minha mente a surgir

Insistente como se fosse uma miragem.

 

Até duvido se mereça conseguir

Esta graça duma esperançosa abordagem

Sem qualquer risco venha de fato medir

Toda altura da tua nobre linhagem.

 

Perdoa, mas tenho audácia de pedir,

Em teu coração atrevida hospedagem,

Para que alguma razão possa emergir

 

Dissipando certa falsa roupagem

Camuflada que não se perceba existir

Qualquer indício de possível vantagem.

 

José Alberto de Souza

POA, 15/SET/2021.


 

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

TREZE OITO DOIS ZERO VINTE E UM : É HOJE!*


Sexta feira, treze de agosto

Deste ano de dois mil e vinte um,

Não vai ser dia de desgosto
Aqui neste nosso olodum.
Dim-dim... Dim-dim...
Saravá, Pai Joaquim!
Um banho de ervas vamos tomar,
Se benzer com galho de arruda.
Para este nosso corpo fechar,
Queremos pedir tua ajuda.
Dim-dim... Dim-dim...
Saravá, Pai Joaquim!
Muita cachaça com pipoca
Para nosso santo saborear
E também a galinha choca
Na encruzilhada vamos deixar.
Dim-dim... Dim-dim...
Saravá, Pai Joaquim!
Ele vai nos dar bastante sorte
Para o resto da nossa vida.
Como nosso santo forte,
Responderá a nossa batida,
Dim-dim... Dim-dim... 
Saravá, Pai Joaquim!

terça-feira, 10 de agosto de 2021

POETA GAROEIRO : RETRIBUINDO GENTILEZA




D E C A N T A Ç Ã O

 

Lá muito distante, muito além do infinito,

Pretendo reencontrar todos ancestrais,

Com trajetória finda, já virei mito,

Agora plano nas alturas celestiais

 

Nesta visão, parece que daqui eu fito

Seres queridos em procissões colossais

Para receber um descendente bendito

Que não poderiam imaginar jamais

 

E eu fico pensando, até acredito

Como nossas vidas sempre são imortais

Continuamente a celebrar um rito

 

De se perpetuar em preces magistrais

Nas quais fico envolvido e me agito

Libertando minh ‘alma desses lodaçais...

 

JOSÉ ALBERTO DE SOUZA

POA, 10/Ago./2021.


 

sábado, 24 de julho de 2021

EN TAL FATALIDAD QUE ESTOY CAUTIVO DE TI

 

Mira, qué destino - conocerte como te conoci

Mira, qué destino - enamorarme encantado de ti  

Mira, qué destino - me hizo tropezar sorprendido asi  

Ahora soy un muñeco tan manipulado por tu voluntad 

Y no me queda más que estar cautivo de ti en tal fatalidad.

 José Alberto de Souza

POA, 24/jul./2021.