terça-feira, 13 de novembro de 2007

Quando é que a nossa OSPA executará esta peça musical?

Ultimamente, temos recebido algumas mensagens em nosso computador de divulgação turística de nossa Capital. Não resta dúvida de que se trata de peças publicitárias bem elaboradas e de muito bom gosto, que enchem de orgulho as pessoas que as recebem. Porém, o fundo musical Porto Alegre É Demais, interpretado pela primeira-dama Dª. Isabela, passa-nos a impressão de que o meu caro xará, o prefeito Fogaça, está tirando proveito da sua situação como alcaide do nosso município. Bastava um pouquinho mais de imaginação para se dourar essa pílula.
A Companhia Zaffari ainda hoje tem a venda em todas caixas de seus supermercados aquele CD com título homônimo da canção do nosso prefeito, puxando o desfile de belíssimas músicas de compositores locais, exaltando as belezas de Porto Alegre. Também o pesquisador Henrique Mann já nos legou o seu projeto do CD Porto Alegre Boêmia - Um Século de Canções, em dois volumes, amostragem que bem representa o meio musical bastante inspirado da noite porto-alegrense.
Até parece que nos pretendem impingir uma canção-símbolo para a Capital sul-riograndense, quando na realidade existem várias melodias em condições que nada ficam devendo umas às outras. Até pouco tempo atrás, existia entre nós um consenso de opiniões apontando Alto da Bronze (Paulo Coelho e Plauto Azambuja), Porto dos Casais (Jayme Lubianca) e Rua da Praia (Alberto do Canto) como as músicas mais representativas do nosso cancioneiro.
Que se faça, pois, um passeio através da nossa geografia musical mostrando em vídeo atrações turísticas que vem sendo desvendadas com as composições de vários de nossos autores.
Para visualisar em tamanho maior, clicar na ilustração.

6 comentários:

Anônimo disse...

Escreveu bonito, jornalista Souza!
Antes de receber teu imeil, já tinha aberto e lido teu blog provocativamente elegante e objetivo. É isso aí.
Agradeço pelo "toque".
GREIS.

Anônimo disse...

Teu blogue é consolador; consola-nos de tanto cinismo e falta de humor que andam por aí. É movido por generosidade e bom caráter. Levanta-nos. Parabéns, Souza. Do Assis Brasil.

Abraço do
Assis
PS.: encanta-nos ver nossos sítios indicados.

Anônimo disse...

Exemplar figura humana é Jayme Lubianca. Sua simplicidade e seu talento cativam a todos nós. Quem dera que os meios de comunicação, pelo menos na Semana de Porto Alegre, se lembrassem dele. Entretanto, só é lembrado o "Porto Alegre é demais". Quanto a Norminha Duval é uma violonista excepcional. Ouvi sua apresentação no programa do Glênio. Seu estilo é muito parecido com o do Baden. Saudações
G(il)SB.

Valesca disse...

Souza, amigo,
gostei de ver teu blog.Parabéns. Adicionei-o aos meus favoritos. Obrigada por mencionar meu site,
abração,
Valesca

Fernando Rozano disse...

Grande José Alberto, Porto Alegre não se esgota em uma só canção. Algumas, no máximo, quem sabe, dão um pouco mais de cor à peças publicitárias.Mas, as mencionadas por ti já estão entranhadas na alma porto-alegrense. Grande abraço.

Elinka Matusiak disse...

Caro José Alberto!
Mas que coisa maravilhosa as coincidências que a tal "blogosfera" nos proporciona... nem acredito!
Em uma busca sobre mais informações sobre o Lubianca acabo caindo aqui e grito: "aaaaaah a partitura que eu ganhei!!!!" E corro pra ver quem era o felizardo que como eu tinha uma cópia desta relíquia... o próprio amigo que me havia presenteado, há quase 8 anos atrás!
Puxa, que surpresa boa!
Vou tentar ser breve aqui, escrevo mais depois por e-mail, mas quero te dar aqui em primeira mão (ainda nem coloquei o release no meu blog!) a notícia de que nesta quarta-feira, dia 26, estarei tendo a honra e o prazer de finalmente interpretar este belíssimo samba em um show especial idealizado para homenagear Porto Alegre, seus compositores e seus intérpretes!
O show inicia às 19h30 no Café do Sindicato dos Bancários(Gen. Câmara, 424).
Muito me alegraria tua presença e a de tua esposa nesse momento tão especial!
(Sintam-se mais do que convidados, intimados!!!)

Saudações poéticas e um sincero abraço,

Elinka