terça-feira, 23 de outubro de 2012

Jaguarenses mais um ano no Gauchão


Em 1936, a FRGD adotou uma nova divisão entre as zonas futebolísticas do Estado, que passaram a compreender 18 regiões, a saber: Zona Centro (1ª, 2ª e 3ª regiões); Zona Nordeste (4ª, 5ª e 6ª regiões); Zona Serra (7ª, 8ª, 9ª e 10ª regiões); Zona Sul (10ª, 11ª, 12ª e 13ª regiões); Zona Litoral (14ª e 15ª regiões); Zona Fronteira (16ª, 17ª e 18ª regiões).
Os seguintes campeões citadinos representaram as respectivas regiões: 1ª) Sport Club Internacional, de Porto Alegre; 3ª) Sport Club Juventude, de Caxias do Sul; 6ª) Sport Club Guarani, de Minas de São Jerônimo; 7ª) Sport Club Cruzeiro, de Passo Fundo; 8ª) Grêmio Riograndense Foot Ball Club, de Cruz Alta; 9ª) Riograndense Foot Ball Club, de Santa Maria; 10ª) Guarani Foot Ball Club, de Cachoeira do Sul; 12ª) Grêmio Sportivo Bagé; 13ª) Grêmio Athlético General Osório, de Jaguarão (eliminado pelo Bagé por 3x2); 15ª) Sport Club Rio Branco, de Santa Vitória do Palmar; 16ª) Sport Club 14 de Julho, de Itaqui; 17ª) Sport Club Ferrocarril, de Uruguaiana.
Disputaram a classificação em suas regiões: Foot Ball Club Montenegro e Club Sportivo Bento Gonçalves (2ª); Grêmio Sportivo Leopoldense e Sport Club Novo Hamburgo (4ª); América Foot Ball Club e Couto Foot Ball Club, de Rio Pardo, e Santa Cruz Foot Ball Club (5ª); Grêmio Sportivo Duque de Caxias, de Dom Pedrito, e Botafogo Foot Ball Club, de São Gabriel (11ª); Sport Club Rio Grande e Grêmio Athletico 9º Regimento de Infantaria, de Pelotas (14ª); Grêmio Foot Ball Santanense, de Santana do Livramento, e Ypiranga Athlético Foot Ball Club, de Quaraí. Sairam vencedoras regionais as representações de Bento Gonçalves, Novo Hamburgo, Santa Cruz, São Gabriel, Rio Grande e Santana do Livramento.
Nos confrontos entre regiões, sagraram-se campeões: S.C. Internacional, da Zona Centro; S. C. Novo Hamburgo, da Nordeste; Rio Grandense F . B. C., da Serra; Botafogo F. B. C., da Sul; S. C. Rio Grande, da Litoral; G. F. B. Santanense, da Fronteira (que desistiu da competição). Na fase preliminar, S. C. Novo Hamburgo eliminou Botafogo F. B. C. por 11x0, partida realizada a 10/01/1937 na Chácara da Camélias, em Porto Alegre. Nas semifinais, ocorreram os jogos:
10/01/1937 – S. C. Internacional 4 x Rio Grandense F. B. C. 4 (na prorrogação Inter 4x0), na Chácara das Camélias.
14/01/1937 – S. C. Rio Grande 5 x S. C. Novo Hamburgo 2, no campo da Baixada, em Porto Alegre.
Decidindo o certame, S. C. Internacional e S. C. Rio Grande enfrentaram-se em duas contendas a 17  e 21/01/1937, ambas vencidas pela equipe riograndina  por 3 tentos (Souza, Pesce e Ernestinho) a 2 (Salvador e Silvio Pirilo), com arbitragem de Henrique Maya Faillace, e 2 gols (Souza e Pesce) a zero, árbitro Demóstenes dos Sillos, e disputadas em Porto Alegre (Timbaúva e Chácara das Camélias).
Sport Club Internacional saiu vice-campeão gaúcho de futebol de 1936 com a seguinte formação: Penha, Alpheu e Natal – Garnizé (Zezé), Risada e Levi – Artigas (Tijolada), Salvador (Mancuso), Silvio Pirilo, Castilhos e Tom Mix. Treinador: Bernardo de Souza Neto.
Sagrou-se campeão gaúcho de futebol de 1936 Sport Club Rio Grande que alinhou em suas fileiras: Munheco, Fructo e Cazuza – Juvêncio, Chinês e Roberto (Sanguinha) – Ernestinho, Darinho (Caringi), Souza (Carruíra), Marzol e Pesce. Treinador: Gustavo Kraemer Filho.

A matéria aqui apresentada, mais uma vez, baseou-se em dados coligidos por Douglas Marcelo Rambor, incansável pesquisador do nosso futebol.

2 comentários:

Jorge Passos disse...

Parabéns por esse importante resgate da história do nosso futebol!

Anônimo disse...

Amigo José Alberto, poeta das águas doces e do escrete bretão, bela pesquisa sobre o inicio da arte futebolista no Sul. Interessante: desta arte importadíssima, onde se misturava os nomes indígenas ao puro inglês ( Guarani Foot Ball Club) surgiu as nossas peladas de ruas, os rachas dos campinhos nas beiras de rios e daí os inumeráveis , os incontáveis craques da pelota. Parabéns Poeta!
Raimundo Cândido