sexta-feira, 12 de outubro de 2018

EIS AI SUBLIME EXALTAÇÃO DE SENTIMENTOS



E X P E C T A T I V A

Agora no ermo de minha solidão
Me apareces como um desejo proibido
A que busco resistir nesta tentação
Chegando de repente num tempo perdido

E fico pensando se vens cedo ou tarde
Para usufruir este ocaso de alheia vida
De maneira discreta, quase sem alarde,
Numa última oportunidade oferecida

Sem que não me reste qualquer alternativa
A compartilhar deste previsível risco
Na breve aproximação que objetiva

Não, não assopra as brasas da nossa amizade,
Pois embora escondidas nesse fogo arisco
Podem se espalhar em cinzas de ansiedade.

José Alberto de Souza
POA 12/10/2018.

10 comentários:

Carlos José de Azevedo Machado disse...

Agradeço ao nosso poetadasaguasdoces por nos brindar com sua poesia, quando então estamos tão envolvidos nas teias do concreto-abstrato midiático. Sua poesia, por mais paradoxo que pareça, nos traz para a realidade. Nos faz pensar e ver que o mundo é e será o que somos. Que sejamos melhores. Aos desejos proibidos que nos levam a tempos perdidos, mas também reais. Grande Abraço meu poeta Tio Zezinho.

Garoeiro disse...

Parabéns!
Se já não fosse tão grande essa volta do Poeta das Águas Doces, eis que o mestre da crônica memorialista volta com boa poesia, num soneto apaixonado!
Mãos à obra, Amigo Souza, que os leitores precisamos dessa lavra ...

Aguinaldo disse...

Belíssimo soneto, bom José Alberto. Sensível, Criativo, Conciso.
Muito grato por merecer a precisão de sua caneta.
Baitabracito aqui do amigo e admirador,
Aguinaldo

Anônimo disse...

Meu caro Irmão e Amigo José Alberto de Souza: tu estás igual ao vinho! Cada vez melhor. Parabéns! Um abraço fraterno do Teixeira.

Graça Hidalgo disse...

Poetadaesperança....da luz, do sempre amanhecer...e por que não????? Beijos meu tio passarinho....sempre com seu canto bonito!!!!

Átila Resem Hidalgo disse...

Tio, que lindo soneto.
Fico muito contente e entusiasmado em saber do teu amor pela vida e pela criação. Se vê um forte sentimento que contagia à todos.
Forte abraço.

Anônimo disse...

Parabéns, vizinho.
O poeta continua em forma.
Abraço do Costa Franco

Anônimo disse...

Caro Souza
O POETA voltou, que legal.
Um abraço grande.
Diná

Blog do Wenceslau disse...

Souza, conterrâneo amigo:
Alegro-me, também, como os demais teus leitores, pelo teu retorno com toda tua já conhecida inspiração. Espero ver-te em breve. Abraços. Wenceslau.

Eulálio disse...

Caro amigo: Já havia visto mesmo, sem tempo de meditação. Obra prima para qualquer um. Parabéns.