sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Há exatos 50 anos em meus alfarrábios


CRUZEIRO NAS FINAIS DO ESTADUAL DE AMADORES
(Publicado em 17.02.2012 no jornal “A Folha”, de Jaguarão.)

Aproxima-se do seu término o certame estadual de amadores, promovido e realizado anualmente pela Federação Rio Grandense de Futebol. Classificados para as finais desse importante torneio o Esporte Clube Cruzeiro do Sul, desta cidade, e o Frigoríficos Nacionais Futebol Clube, de Canoas, disputam a conquista do galardão máximo do campeonato. Portanto, já tendo assegurado, um dos dois, o título de Vice-Campeão Estadual da Categoria, independente de qualquer resultado que possa ocorrer.
Aproveitando o ensejo, apresentamos nestas breves linhas, a título de esclarecimento, uma noção (talvez sujeita a incorreções) sobre o que seja o sistema de disputa desse Campeonato.

Disputantes e posição
A Série Verde compõe-se de 23 municípios, dos quais apenas 19 foram representados no certame de 1961. Esta série é subdividida em 3 grupos, enquadrados segundo 7 chaves.
Na chave 1, disputaram as agremiações G. E. Juventude (Candelária), A. E. Sobradinho, da cidade do mesmo nome, e G. A. Operário (Rio Pardo), sagrando-se esse último vencedor da referida.
Enfrentaram-se na chave 2 E. C. Itapuí (Guaíba), E. C. Guarani (Venâncio Aires) e G. E. Taquariense (Taquari), o primeiro dos quais vencendo essa chave.
As equipes representativas de Rio Pardo e Guaíba jogaram entre si para decidir o privilégio de disputar com o Atlético Mineiro F. C. (São Jerônimo), único integrante da chave 3, o título de campeão do grupo, conquistado pelo E. C. Itapuí.
Para apontar o vencedor da chave 4, puseram-se em disputa C. A. Camaquense (Camaquã), G. E. Juvenil (Tapes) e Juventus F. C. (Barra do Ribeiro), tendo triunfado esse último.
Na chave 5, que foi conquistada pelo representante de nossa cidade, disputaram ainda G. E. Internacional (Arroio Grande), F. C. Piratini (Pedro Osório) e Paulista F. C. (Pelotas).
O nosso valoroso E. C. Cruzeiro do Sul impôs-se ante os representantes de Barra do Ribeiro, conquistando assim o título de campeão do Grupo 2, para em seguida também triunfar ante o vencedor do Grupo 1 e habilitar-se às finais do certame.
O grupo 3, com uma só chave (6), foi vencido pelo Frigoríficos Nacionais F. C. (Canoas) ante as equipes do G. A. Juventude (Esteio) e do F. C. Estância Velha, da localidade que lhe empresta a denominação.
O Avenida F. C. (Porto Alegre), jogando ante o Tamoio F. C. (Viamão), venceu o grupo 4 (chave 7), porém, foi eliminado pela representação de Canoas, que já é adversária do campeão de nossa cidade nas finais do Estadual.

Os desistentes
Não participaram desse campeonato os representantes de Cachoeira do Sul (chave 1), General Câmara (chave 2), São Lourenço do Sul (chave 4) e São Leopoldo (chave 6). Observa-se portanto que as chaves 5 e 7 foram as únicas com atuação integral, o que já é um motivo de satisfação para nós, tendo em vista ser a nossa chave (5) a que teve maior número de concorrentes.

A maior liga do futebol amador
A primeira vista, ante um ligeiro exame do carnê do Campeonato Estadual de Amadores de 1961 (Série Verde), parece-nos ser o representante de São Jerônimo o mais privilegiado dos concorrentes do certame. No entanto, deve-se levar em conta que a Liga desse município possui 17 filiados, sendo bastante extenso o seu campeonato, com jogos inclusive no meio da semana. Basta se dizer que sua equipe representativa não foi o quadro campeão, mas sim o vencedor do primeiro turno do campeonato municipal, pois que este não tendo chegado a seu término na época aprazada pela F.R.G.F., tiveram os clubes de São Jerônimo que entrar em acordo para apontar o seu representante nesse Estadual de Amadores.

Datas aprazadas
Outro motivo nos chama a atenção, ou seja, as chaves 6 e 7 que constituem isoladas os grupos 3 e 4 respectivamente e cujos vencedores já podem disputar entre si uma candidatura às finais do Estadual. Entretanto, temos de levar em consideração que os campeonatos municipais de Esteio, Canoas, São Leopoldo e Porto Alegre possuem um elevado número de participantes. E o campeonato estadual já começa a ser disputado nos certames citadinos. Daí esse aparente privilégio.

Desempenho dos finalistas
O Frigoríficos Nacionais representa 6 municípios, disputando previamente um total de 8 partidas nesse certame, enquanto o E. C. Cruzeiro do Sul tem a si a responsabilidade de 17 municípios, totalizando 13 partidas jogadas. Como vemos, a nossa equipe passou por 75% dos concorrentes, disputando 25% das 50 partidas realizadas e a serem realizadas na Série Verde, salvo uma terceira contenda nessa decisão.

Considerações e sugestões
Tivemos oportunidade de palestrar amavelmente com um dos encarregados do Departamento do Interior da F.R.G.F., Sr. Luiz Santana, o qual nos forneceu gentilmente um ligeiro retrospecto de todos os jogos efetuados na Série Verde, bem como se prontificou a abordar e discutir francamente conosco o critério de disputas do Estadual de Amadores. E foi o que fizemos. Julgamos bastante ponderáveis muitos dos seus argumentos e compreendemos a complexidade na elaboração do carnê de jogos. Porém, solicitamos vênia para discordar em certos detalhes. Pareceu-nos ligeiramente “sacrificado” o grupos 1, enquanto os grupos 3 e 4 um pouco mais “descansados”. Apenas dizemos isso à luz da realidade, sem querer provocar polêmicas. Se não vejamos: 1º) desde 3 de dezembro (1961) os vencedores dos grupos 3 e 4 estavam aguardando a sua vez de enfrentar os vencedores dos grupos 1 e 2, somente conhecidos a 4 do corrente (fev/1961), dois meses passados; 2º) o vencedor do grupo 3, também desde 3 de dezembro (1961), esperava a ocasião de disputar com o vencedor do grupo 1, conhecido a 21 de janeiro (1961), quase dois meses parado.
E daqui a nossa sugestão aos dirigentes do Departamento do Interior da F.R.G.F. daquilo que nos parece ser a solução mais razoável: a transferência de São Jerônimo (chave 3) do grupo 1 para o grupo 3.

José Alberto de Souza

7 comentários:

Cabeda disse...

O representante de Cachoeira do Sul deveria ser o Duque de Caxias, onde foi zagueiro por muitos anos nosso colega Dr. Campos. Aliás, era uma defesa de respeito, com dois zagueiros e um goleiro "barras pesadas", respectivamente Dr. Campos, Cel Roberto Patta e Dr. Nilo Diniz Savi.
Em 1961, todos eles já não deveriam estar atuando, o Campos lecionando na Faculdade de Ciências Econômicas e no BRDE, o Patta no Corpo de Bombeiros e o Dr. Nilo Savi com próspera banca de advocacia.
Com tantos "desfalques", o Duque só poderia fazer "forfait"...

Anônimo disse...

Belíssimo trabalho amigão JAlberto ! Parabéns !!!
Abraços, Paulo.

Jorge Passos disse...

Caro José Alberto, importante e histórico registro para o futebol jaguarense. Não seria interessante fazer um recorte na fotografia do jornal, priorizando a noticia do Cruzeiro de Jaguarão para que pudesse ser melhor lida?
Abraço

Anônimo disse...

Meu caro José Alberto, estamos voltando, foi uma viagem longa.
Lí todos os teus e-mails e parabenizo pelo belo trabalho que vens desenvolvendo em teu Blog.
É um registro importante em que noticias o passado de nossa terra.
Um grande abraço e agradecimentos pelos e-mails encaminhados.
Hunder.

Maria da Luz disse...

Oi tio, não sabia dessa paixão por esportes na época. Bjos

Marco Aurélio Vasconcellos disse...

Que belas recordações (felizmente documentas) que já se haviam perdido no tempo. Muito legal.
Abç
Marco

João Alfredo da Cunha disse...

Difícil entrar no desejo de, primeiro sabe se o ilustre pesquisador teria em seus arquivos os resultados da chave cinco da qual consta o Esporte clube Piratini de Pedro Osório, mas diante de tão valoroso o resgate que, brilhantemente o senhor nos proporciona com suas pesquisas, quero simplesmente só lhe agradecer e mardar-lhe um fraterno Abraço. João Alfredo da Cunha.